"No tempo das cavernas..."

Na aurora da nossa atual civilização, as pessoas se reuniam ao redor de fogueiras, após um exaustivo dia de trabalho (geralmente caçando o que comer). Esse era um momento de confraternização, para reforçar os laços de amizade.


Podemos imaginar que era o momento ideal para alguém "contar uma história". Uma grande aventura, vivida por alguém importante. As pessoas ouviam e mais tarde elas próprias poderiam estar na pele do "contador".

Imagine anos depois, os filhos ou netos de alguém que ouviu essa história tentando recontá-la da melhor forma possível. Provavelmente detalhes serão perdidos e outros acrescentados pelo narrador atual para conduzir o ouvinte até o deslumbramento final, com o desfecho da narrativa.

Podemos portanto dizer que quase sempre essa narrativa vai do ponto A ao ponto B, porém a trajetória nem sempre é a mesma, sofrendo alterações com o tempo ou em função de quem é o narrador.


Certo, agora entendi!

Recapitulando...